New York

 

Quando no início do ano de 2010 fui informado que teria de me deslocar a Nova Iorque por motivos profissionais, devem facilmente imaginar o meu estado de alma naquele preciso momento. É isso mesmo, foi essa a cara, mas claro mais contida uma vez que estava perante a minha entidade empregadora.

A deslocação prendia-se essencialmente por dois motivos apenas, um era acompanhar e auditar a montagem do nosso stand na feira de moda Coterie, que se realizou no Lincoln Center. O outro era realizar uma operação de Benchmark, às principais marcas de moda (basicamente tudo aquilo que pudéssemos visitar) em busca de tendências e das melhores práticas comerciais dedicadas ao retail.

Nesta situação a velha máxima, “Quem corre por gosto não cansa” aplica-se na perfeição. É uma daquelas coisas que nem o facto de apanhar um fim-de-semana inteiro me suscitou qualquer sentimento de revolta sindicalista.

Chegados a Nova Iorque, eu e o meu colega de trabalho apanhamos um táxi para Manhattan e encaminhamo-nos para a West 48th Street, onde ficava o nosso hotel.

Check in feito, rapidamente saímos do hotel, viramos para a direita e 50m à frente estávamos em Times Square. Primeiro momento alto da viagem… Goste-se ou não, é e será sempre um dos pontos mais emblemáticos da cidade.

Posso dizer que no período de 7 dias em que estivemos naquela cidade, calcorreamos a mesma desde Upper West Side, Upper East Side, China Town, Litle Italy, Chelsea, Soho, Tribeca, Financial District, Gramercy, East Village, Lower East Side… Bom basicamente varri a cidade sempre a pé, desde Central Park até ao Financial District. Sim, batemos aquela “malha” urbana ortogonal uma a uma. Sempre com um sorriso estampado nos rosto e nem o facto de termos apanhado dias solarengos, dias de frio e chuva intensa, fizeram com que o sorriso esmorece-se.

É efectivamente uma cidade inesquecível, não se trata de uma fraude, correspondeu inteiramente às minhas expectativas. A escala da cidade e dos edifícios, o movimento, a enorme variedade cultural. As assimetrias entre cada uma das zonas de Manhattan, o Financial Distric pejado de yuppies e logo acima Soho onde encontras todo o tipo de artistas e pessoas despojadas de qualquer tipo de preconceitos, isto sem falar nas diferenças relativamente à arquitectura.

Desta viagem destaco, Times Square, Central Park, MoMa Museum, Chrysler Building, Empire State Building, Brooklyn Bridge, Guggenheim Museum, The Pier, High Line que à data faltava concluir a ultima fase da sua reconversão e ”last but not least” o meu favorito e absolutamente fantástico Flatiron Building.

Percorrer esta cidade e de forma inusitada dar de caras com tudo aquilo que tinhas apenas visto na T.V. um de cada vez… É de cortar a respiração.

Quanto aos objectivos profissionais que motivaram esta viagem… Posso garantir que foram alcançados com bastante sucesso, tendo a participação na feira sido positiva e a operação de Benchmark profícua, visitamos todo o tipo de marcas, desde as maiores e mais importantes grifes de moda e alta costura, até ás lojas multibrand ou monobrand mais urbanas.

Se ficou algo por fazer… Obviamente que sim, contudo assumo que o fiz de forma consciente e muitas pessoas dirão que fui pouco inteligente. O meu sentimento e “feeling” é que inevitavelmente voltarei, e aí já na companhia da Miss Modas desfrutar em pleno a partilha desta cidade que nunca dorme.

 

Fotos by Sir Modas

Times squareCentral Park

Guggenheim MuseumHigh LineEmpire State BuildingFlatiron Building

 

 

Anúncios

Dê-nos a sua opinião!

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s